Sling para Bebês

Novo
R$119,00

Em 3x de R$39,67 Sem Juros

Novo
R$119,00

Em 3x de R$39,67 Sem Juros

Novo
R$82,00

Em 3x de R$27,33 Sem Juros

R$89,00

Em 3x de R$29,67 Sem Juros

+ de 69 mil mamães e papais nas redes sociais

Sling para bebê: melhores posições para você usar!

Uma dúvida bem comum entre os pais é sobre a posição que o bebê deve ficar no sling, especialmente quando são bem pequeninos ainda. A boa notícia é que existem várias formas e orientações bem claras que podem tranquilizar você!

Dicas de posições

Em qualquer posição, a melhor opção sempre será manter as perninhas em flexão e abdução, elas nunca devem ficar esticadas ou penduradas para baixo. Dessa forma, os joelhos devem ficar dobrados ou acima da altura do bumbum, formando uma letra M. Também é importante que os pezinhos fiquem sempre para fora do tecido, independentemente da idade do bebê.

Posição barriga com barriga: nessa posição em que a barriga do pai ou da mãe fica encostada na barriga do bebê, na posição vertical, e a orientação é que as pernas fiquem afastadas e os pés não toquem um no outro.

Posição deitado: essa posição deve ser utilizada somente para a amamentação com sling, pois é uma forma de deixar o bebê bem confortável. Nesse caso, os pés podem tocar um no outro.

Posição olhando para a rua: cuidado com essa, pois não é recomendada! Essa posição não pode ser usada com bebês recém-nascidos, pois eles não têm firmeza na coluna e no pescoço, além de precisarem do apoio no corpo do adulto. Porém, mesmo para bebês maiores, a posição continua não sendo recomendada porque não preserva a posição ergonômica das pernas do bebê.

Posição no sling para recém-nascido

Você pode usar o Wrap Sling ou Sling de Argolas desde o nascimento do seu bebê e para começar com a prática do sling, recomendamos que seja utilizada a bariga com barriga, de forma vertical. E com o tempo você vai pegando a prática, sabendo ajeitar as melhores posições conforme as diferentes necessidades do seu pequeno.

É tudo questão de tempo e adaptação! Comece com as nossas dicas e não tenha medo.
#pannosling #colo #amor #sling #slingdeargolas #wrap #wrapsling
Sling para bebê: melhores posições para você usar! Uma dúvida bem comum entre os pais é sobre a posição que o bebê deve ficar no sling, especialmente quando são bem pequeninos ainda. A boa notícia é que existem várias formas e orientações bem claras que podem tranquilizar você! Dicas de posições Em qualquer posição, a melhor opção sempre será manter as perninhas em flexão e abdução, elas nunca devem ficar esticadas ou penduradas para baixo. Dessa forma, os joelhos devem ficar dobrados ou acima da altura do bumbum, formando uma letra M. Também é importante que os pezinhos fiquem sempre para fora do tecido, independentemente da idade do bebê. Posição barriga com barriga: nessa posição em que a barriga do pai ou da mãe fica encostada na barriga do bebê, na posição vertical, e a orientação é que as pernas fiquem afastadas e os pés não toquem um no outro. Posição deitado: essa posição deve ser utilizada somente para a amamentação com sling, pois é uma forma de deixar o bebê bem confortável. Nesse caso, os pés podem tocar um no outro. Posição olhando para a rua: cuidado com essa, pois não é recomendada! Essa posição não pode ser usada com bebês recém-nascidos, pois eles não têm firmeza na coluna e no pescoço, além de precisarem do apoio no corpo do adulto. Porém, mesmo para bebês maiores, a posição continua não sendo recomendada porque não preserva a posição ergonômica das pernas do bebê. Posição no sling para recém-nascido Você pode usar o Wrap Sling ou Sling de Argolas desde o nascimento do seu bebê e para começar com a prática do sling, recomendamos que seja utilizada a bariga com barriga, de forma vertical. E com o tempo você vai pegando a prática, sabendo ajeitar as melhores posições conforme as diferentes necessidades do seu pequeno. É tudo questão de tempo e adaptação! Comece com as nossas dicas e não tenha medo. #pannosling #colo #amor #sling #slingdeargolas #wrap #wrapsling
Hérnia Umbilical em bebês: o que fazer?

As hérnias umbilicais em bebês são um problema que preocupa muitos pais, deixando-os apavorados e com muitas dúvidas de como tratar a condição. Por isso, hoje vamos esclarecer algumas dúvidas sobre o tema. Confira!

O que é a Hérnia Umbilical?
A hérnia é uma pequena saliência que surge em uma abertura da parede muscular do bebê, que deveria estar fechada. Geralmente, aparece perto do umbigo (hérnia umbilical) ou da virilha (hérnia inguinal) quando um órgão ou tecido está fora do lugar. Os bebês com baixo peso ao nascer e prematuros são mais propensos a ter.

Qual a causa da Hérnia Umbilical?
A hérnia umbilical é causada por uma falha no fechamento da musculatura da parede abdominal, que vai gerar uma comunicação da cavidade abdominal com a região umbilical, permitindo a passagem de estruturas.

Quais sintomas?
A hérnia umbilical nos bebês normalmente não leva ao surgimento de sintomas, sendo percebida apenas quando a criança ri, tosse, chora ou evacua e volta ao normal quando a criança deita ou relaxa, isso ocorre normalmente por causa da pressão interna do abdômen.
Porém, se a hérnia aumentar de tamanho ou apresentar algum sintoma, é importante buscar atendimento médico com urgência, já que pode não se tratar apenas de uma hérnia umbilical. Os principais sintomas de alerta são: dor local e à palpação, desconforto abdominal, grande inchaço na região, descoloração do local, vômitos e diarreia ou prisão de ventre.

Qual o tratamento?
A maioria dos casos de hérnia umbilical não necessita de tratamento, uma vez que a hérnia desaparece espontaneamente até os 3 anos de idade, sem a necessidade de utilizar nenhum método, como o uso de ataduras, faixas ou moedas, no umbigo da criança. No entanto é importante que a criança seja acompanhada pelo pediatra.
Quando a hérnia não desaparece até os 5 anos, pode ser necessário realizar tratamento e uma pequena cirurgia, que normalmente é uma cirurgia simples, dura em média 30 minutos.

Esperamos ter ajudado e respondido as suas dúvidas, é importante que os pais fiquem atentos e ao sinal de qualquer alteração, procure o seu pediatra.

#pannosling #colo #amor #bebe #bebes #maternidadereal
Hérnia Umbilical em bebês: o que fazer? As hérnias umbilicais em bebês são um problema que preocupa muitos pais, deixando-os apavorados e com muitas dúvidas de como tratar a condição. Por isso, hoje vamos esclarecer algumas dúvidas sobre o tema. Confira! O que é a Hérnia Umbilical? A hérnia é uma pequena saliência que surge em uma abertura da parede muscular do bebê, que deveria estar fechada. Geralmente, aparece perto do umbigo (hérnia umbilical) ou da virilha (hérnia inguinal) quando um órgão ou tecido está fora do lugar. Os bebês com baixo peso ao nascer e prematuros são mais propensos a ter. Qual a causa da Hérnia Umbilical? A hérnia umbilical é causada por uma falha no fechamento da musculatura da parede abdominal, que vai gerar uma comunicação da cavidade abdominal com a região umbilical, permitindo a passagem de estruturas. Quais sintomas? A hérnia umbilical nos bebês normalmente não leva ao surgimento de sintomas, sendo percebida apenas quando a criança ri, tosse, chora ou evacua e volta ao normal quando a criança deita ou relaxa, isso ocorre normalmente por causa da pressão interna do abdômen. Porém, se a hérnia aumentar de tamanho ou apresentar algum sintoma, é importante buscar atendimento médico com urgência, já que pode não se tratar apenas de uma hérnia umbilical. Os principais sintomas de alerta são: dor local e à palpação, desconforto abdominal, grande inchaço na região, descoloração do local, vômitos e diarreia ou prisão de ventre. Qual o tratamento? A maioria dos casos de hérnia umbilical não necessita de tratamento, uma vez que a hérnia desaparece espontaneamente até os 3 anos de idade, sem a necessidade de utilizar nenhum método, como o uso de ataduras, faixas ou moedas, no umbigo da criança. No entanto é importante que a criança seja acompanhada pelo pediatra. Quando a hérnia não desaparece até os 5 anos, pode ser necessário realizar tratamento e uma pequena cirurgia, que normalmente é uma cirurgia simples, dura em média 30 minutos. Esperamos ter ajudado e respondido as suas dúvidas, é importante que os pais fiquem atentos e ao sinal de qualquer alteração, procure o seu pediatra. #pannosling #colo #amor #bebe #bebes #maternidadereal
Wrap Sling ou Sling de Argolas? Dicas para te ajudar na escolha

E agora, Wrap Sling ou Sling de Argolas? Qual o melhor para você usar? Essa é uma dúvida de muitas mães e pais quando vão comprar o primeiro facilitador de colo. Por isso, vamos explicar como eles funcionam e dar algumas dicas para te ajudar na escolha!

Quais as diferenças entre Wrap Sling e Sling de Argolas?
Características do Wrap Sling: o Wrap Sling é uma faixa comprida de pano (em média, 5 metros) que é colocada sobre os dois ombros e amarrada ao corpo. Ou seja, o peso fica bem distribuído em ambos os lados do corpo, o que facilita o carregamento. Esse tipo de sling pelo seu tamanho e formato permite uma diversidade de amarrações.
Muitos pais gostam mais de usar o Wrap Sling quando o bebê é recém-nascido ou pequenininho ainda, porque a amarração deste modelo dá a sensação de maior firmeza.

Características do Sling de Argolas: o Sling de Argolas é uma faixa de tecido que fica presa por duas argolas, a amarração é diferente e única. Esse modelo de sling é colocado em apenas um ombro, pode ser regulado e fica como uma rede transpassada ao corpo do adulto. Ele também permite várias posições, entre elas: nas laterais do corpo do adulto e na frente.
O Sling de Argolas constuma se tornar preferido entre muitos pais quando o bebê já esta passando de um ano, porque é mais prático desamarrar caso a criança queira sair do colo.

Quem pode usar Wrap Sling e o Sling de Argolas?
Ambos podem ser usados desde o nascimento do bebê até ele atingir 15kg, que costuma ser por volta dos 3 anos de idade.

E agora, qual escolher? Wrap Sling ou Sling de Argolas?
Não existe escolha certa ou errada, cada pai e mãe tem suas preferências próprias e se adaptam melhor a determinado tipo de sling ou modo de amarração. Sempre indicamos que veja as amarrações no nosso canal do YouTube, para que assim, você tenha uma noção de como será o uso e conseguir prever com qual irá se adaptar mais rápido.

Esperamos que nossas dicas tenham sido úteis para ajudar na hora de escolher o seu sling. Conta pra gente, qual seu preferido Wrap Sling ou Sling de Argolas? #pannosling #colo #amor #sling #wrapsling #slingdeargolas #wrap
Wrap Sling ou Sling de Argolas? Dicas para te ajudar na escolha E agora, Wrap Sling ou Sling de Argolas? Qual o melhor para você usar? Essa é uma dúvida de muitas mães e pais quando vão comprar o primeiro facilitador de colo. Por isso, vamos explicar como eles funcionam e dar algumas dicas para te ajudar na escolha! Quais as diferenças entre Wrap Sling e Sling de Argolas? Características do Wrap Sling: o Wrap Sling é uma faixa comprida de pano (em média, 5 metros) que é colocada sobre os dois ombros e amarrada ao corpo. Ou seja, o peso fica bem distribuído em ambos os lados do corpo, o que facilita o carregamento. Esse tipo de sling pelo seu tamanho e formato permite uma diversidade de amarrações. Muitos pais gostam mais de usar o Wrap Sling quando o bebê é recém-nascido ou pequenininho ainda, porque a amarração deste modelo dá a sensação de maior firmeza. Características do Sling de Argolas: o Sling de Argolas é uma faixa de tecido que fica presa por duas argolas, a amarração é diferente e única. Esse modelo de sling é colocado em apenas um ombro, pode ser regulado e fica como uma rede transpassada ao corpo do adulto. Ele também permite várias posições, entre elas: nas laterais do corpo do adulto e na frente. O Sling de Argolas constuma se tornar preferido entre muitos pais quando o bebê já esta passando de um ano, porque é mais prático desamarrar caso a criança queira sair do colo. Quem pode usar Wrap Sling e o Sling de Argolas? Ambos podem ser usados desde o nascimento do bebê até ele atingir 15kg, que costuma ser por volta dos 3 anos de idade. E agora, qual escolher? Wrap Sling ou Sling de Argolas? Não existe escolha certa ou errada, cada pai e mãe tem suas preferências próprias e se adaptam melhor a determinado tipo de sling ou modo de amarração. Sempre indicamos que veja as amarrações no nosso canal do YouTube, para que assim, você tenha uma noção de como será o uso e conseguir prever com qual irá se adaptar mais rápido. Esperamos que nossas dicas tenham sido úteis para ajudar na hora de escolher o seu sling. Conta pra gente, qual seu preferido Wrap Sling ou Sling de Argolas? #pannosling #colo #amor #sling #wrapsling #slingdeargolas #wrap
Amamentação em público: entenda como lidar com essa questão

Você já amamentou seu filho em público? Quantas vezes se sentiu constrangida por fazer isso? Pode parecer estranho que, embora a amamentação em público seja um direito garantido às mulheres, ainda existam pessoas que se oponham a isso.

Sabemos que a recomendação de pediatras e obstetras para um período do pós-parto é ficar em casa, principalmente nesse momento de pandemia em que estamos vivendo. Mas com a volta da rotina e, muitas vezes, o fim da licença maternidade é comum, e necessário, que mãe e bebê saiam um pouco de casa e, principalmente para aquelas que praticam a livre demanda, existem grandes chances de você precisar amamentar em público.

Muitas mulheres ainda se sentem constangidas em amamentar em público, mas você sabia que o direito à amamentação é garantindo a lactentes seja em qual espaço for, público ou privado? Segundo a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. Quem proibir ou constranger as que decidirem alimentar seus filhos terá que pagar multa. Ou seja, mamães vocês podem e devem amamentar os seus pequenos onde quer que seja, direito nosso!

Se mesmo assim você não se sentir à vontade, vamos te ajudar com algumas dicas que podem te fazer sentir mais a vontade neste momento:

👚Use roupas confortáveis que facilitem na hora de amamentar;
🤱🏽Treine em casa uma posição que seja confortável para você e para o bebê; 
🪑Opte por lugares mais reservados, como sentar de costas para o salão em um restaurante;
⛺O sling pode ajudar no momento da amamentação, pois já deixam o bebê em uma posição propícia e o tecido torna o momento um pouco mais reservado. E caso você se sinta mais à vontade, use uma fralda de pano ou então um lenço de amamentação.

Lembre-se mamãe: a amamentação é o momento em que há maior interação entre mãe e filho, os vínculos são fortalecidos e o desenvolvimento afetivo estimulado. É uma atividade que só traz benefícios, físicos e emocionais, que jamais deve ser coibida por pensamentos mais retrógrados.
#pannosling #colo #amor #amamentacao #maternidade #aleitamentomaterno
Amamentação em público: entenda como lidar com essa questão Você já amamentou seu filho em público? Quantas vezes se sentiu constrangida por fazer isso? Pode parecer estranho que, embora a amamentação em público seja um direito garantido às mulheres, ainda existam pessoas que se oponham a isso. Sabemos que a recomendação de pediatras e obstetras para um período do pós-parto é ficar em casa, principalmente nesse momento de pandemia em que estamos vivendo. Mas com a volta da rotina e, muitas vezes, o fim da licença maternidade é comum, e necessário, que mãe e bebê saiam um pouco de casa e, principalmente para aquelas que praticam a livre demanda, existem grandes chances de você precisar amamentar em público. Muitas mulheres ainda se sentem constangidas em amamentar em público, mas você sabia que o direito à amamentação é garantindo a lactentes seja em qual espaço for, público ou privado? Segundo a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente. Quem proibir ou constranger as que decidirem alimentar seus filhos terá que pagar multa. Ou seja, mamães vocês podem e devem amamentar os seus pequenos onde quer que seja, direito nosso! Se mesmo assim você não se sentir à vontade, vamos te ajudar com algumas dicas que podem te fazer sentir mais a vontade neste momento: 👚Use roupas confortáveis que facilitem na hora de amamentar; 🤱🏽Treine em casa uma posição que seja confortável para você e para o bebê; 🪑Opte por lugares mais reservados, como sentar de costas para o salão em um restaurante; ⛺O sling pode ajudar no momento da amamentação, pois já deixam o bebê em uma posição propícia e o tecido torna o momento um pouco mais reservado. E caso você se sinta mais à vontade, use uma fralda de pano ou então um lenço de amamentação. Lembre-se mamãe: a amamentação é o momento em que há maior interação entre mãe e filho, os vínculos são fortalecidos e o desenvolvimento afetivo estimulado. É uma atividade que só traz benefícios, físicos e emocionais, que jamais deve ser coibida por pensamentos mais retrógrados. #pannosling #colo #amor #amamentacao #maternidade #aleitamentomaterno
Menstruação no pós-parto: quando o ciclo volta ao normal?

A menstruação pós-parto pode deixar a mulher recém mãe preocupada pela sua presença excessiva ou mesmo pela sua ausência por vários meses. Mas saiba que é comum e mais normal do que se imagina não menstruar no pós-parto ou ficar com pequenos sangramentos de escapes por várias semanas.

O que é o sangramento pós-parto?
Após parir, ocorre no organismo da mãe um processo de cicatrização do útero caracterizado por um sangramento intenso, que não é a menstruação. Chamado de loquiação, que nada mais é, do que resultado da saída do bebê. Em média dura, de 40 a 45 dias e seu fluxo, bem como sua coloração, tende a ser bem intenso e vermelho no início.

Quando a menstruação volta ao normal no pós-parto?
O retorno da menstruação não é uma regra e tudo depende de vários fatores. Mulheres que amamentam tendem a demorar mais tempo para menstruar e podem ficar de 3 a 8 meses sem menstruar caso amamentem exclusivamente. Já para as que não amamentam a menstruação pode voltar ao normal após 2 a 3 meses.

Há alterações na menstruação após o parto?
É normal que a mestruação fique irregular, vindo em maior ou menor quantidade e alterações da cor. Em caso de dúvidas, você deve consultar o seu ginecologista.

Quando voltar a usar método contraceptivo?
Até 2 meses depois do parto, as chances de engravidar são bem pequenas. No entanto, por volta de 40 dias de pós parto, a mulher que não quer engravidar tão rapidamente deve iniciar o uso do anticoncepcional ou outro método anticonceptível da sua preferência. Converse com seu médico sobre as opções, principalmente se estiver amamentando.

Lembre-se: cada organismo reage de uma forma em relação ao pós-parto, qualquer dúvida que tenha sobre a sua recuperação física e hormonal você deve procurar o obstetra que fez o parto ou que acompanhou o exame pré-natal para melhor orientação.
#pannosling #colo #amor #maternidade #posparto #maternidadereal
Menstruação no pós-parto: quando o ciclo volta ao normal? A menstruação pós-parto pode deixar a mulher recém mãe preocupada pela sua presença excessiva ou mesmo pela sua ausência por vários meses. Mas saiba que é comum e mais normal do que se imagina não menstruar no pós-parto ou ficar com pequenos sangramentos de escapes por várias semanas. O que é o sangramento pós-parto? Após parir, ocorre no organismo da mãe um processo de cicatrização do útero caracterizado por um sangramento intenso, que não é a menstruação. Chamado de loquiação, que nada mais é, do que resultado da saída do bebê. Em média dura, de 40 a 45 dias e seu fluxo, bem como sua coloração, tende a ser bem intenso e vermelho no início. Quando a menstruação volta ao normal no pós-parto? O retorno da menstruação não é uma regra e tudo depende de vários fatores. Mulheres que amamentam tendem a demorar mais tempo para menstruar e podem ficar de 3 a 8 meses sem menstruar caso amamentem exclusivamente. Já para as que não amamentam a menstruação pode voltar ao normal após 2 a 3 meses. Há alterações na menstruação após o parto? É normal que a mestruação fique irregular, vindo em maior ou menor quantidade e alterações da cor. Em caso de dúvidas, você deve consultar o seu ginecologista. Quando voltar a usar método contraceptivo? Até 2 meses depois do parto, as chances de engravidar são bem pequenas. No entanto, por volta de 40 dias de pós parto, a mulher que não quer engravidar tão rapidamente deve iniciar o uso do anticoncepcional ou outro método anticonceptível da sua preferência. Converse com seu médico sobre as opções, principalmente se estiver amamentando. Lembre-se: cada organismo reage de uma forma em relação ao pós-parto, qualquer dúvida que tenha sobre a sua recuperação física e hormonal você deve procurar o obstetra que fez o parto ou que acompanhou o exame pré-natal para melhor orientação. #pannosling #colo #amor #maternidade #posparto #maternidadereal
Como sair da maternidade com 5 dicas essenciais

No momento da saída da maternidade muitos pais de primeira viagem se sentem um pouco perdidos. Afinal, fora da maternidade eles estarão por conta própria, sem a segurança e a estrutura do hospital. Neste momento surge várias dúvidas. Por isso, decidimos responder algumas delas para tornar este momento mais tranquilo.

Use roupas leves e confortáveis: é normal que o corpo ainda esteja diferente após dar à luz. Pode ter inchaço nos seios e abdômen, desconforto etc. Então, dê preferência às roupas leves e confortáveis para sair da maternidade, o mesmo vale para o recém-nascido.

Cuidados no transporte do bebê: é importante deixar o recém-nascido confortável e bem agasalhado para conhecer um mundo completamente novo. Vale contar com um facilitador de colo como o sling, que simula o aconchego do útero materno. Na hora de colocá-lo no carro, é imprescindível o uso do bebê conforto para garantir a segurança do pequeno.

Deixe refeições prontas: é normal não ter muito tempo para cozinhar e nem mesmo para comer no início da maternidade, já que os cuidados com o bebê são intensos, e a rotina fica super corrida. Então preparar tudo antes e congelar facilita muito a vida.

Ida ao médico: a primeira consulta com pediatra deve ser feita com 7 dias de vida, isso vale para os casos em que a alta da maternidade ocorre entre 3 e 4 dias após o nascimento. Nos casos em que o bebê fica mais tempo internado, a sugestão é checar com a equipe hospitalar qual a periodicidade adequada para agendar uma avaliação com pediatra.

Visita da família: o momento de receber visitas da família e de amigos é algo muito particular que varia de casal para casal, não existe regra! Mas neste momento de pandemia, as visitas (mesmo de familiares mais próximos) são desaconselhadas, pois as mães no pós-parto e bebês recém-nascidos fazem parte do grupo de risco. 

Sair da maternidade pode ser um momento de incertezas e de certa ansiedade, mas tenha em mente que as turbulências iniciais são normais e logo a família se adapta à nova rotina. O importante é curtir bastante cada momento desta fase! #pannosling #colo #amor #bebe #maternidade #paternidade
Como sair da maternidade com 5 dicas essenciais No momento da saída da maternidade muitos pais de primeira viagem se sentem um pouco perdidos. Afinal, fora da maternidade eles estarão por conta própria, sem a segurança e a estrutura do hospital. Neste momento surge várias dúvidas. Por isso, decidimos responder algumas delas para tornar este momento mais tranquilo. Use roupas leves e confortáveis: é normal que o corpo ainda esteja diferente após dar à luz. Pode ter inchaço nos seios e abdômen, desconforto etc. Então, dê preferência às roupas leves e confortáveis para sair da maternidade, o mesmo vale para o recém-nascido. Cuidados no transporte do bebê: é importante deixar o recém-nascido confortável e bem agasalhado para conhecer um mundo completamente novo. Vale contar com um facilitador de colo como o sling, que simula o aconchego do útero materno. Na hora de colocá-lo no carro, é imprescindível o uso do bebê conforto para garantir a segurança do pequeno. Deixe refeições prontas: é normal não ter muito tempo para cozinhar e nem mesmo para comer no início da maternidade, já que os cuidados com o bebê são intensos, e a rotina fica super corrida. Então preparar tudo antes e congelar facilita muito a vida. Ida ao médico: a primeira consulta com pediatra deve ser feita com 7 dias de vida, isso vale para os casos em que a alta da maternidade ocorre entre 3 e 4 dias após o nascimento. Nos casos em que o bebê fica mais tempo internado, a sugestão é checar com a equipe hospitalar qual a periodicidade adequada para agendar uma avaliação com pediatra. Visita da família: o momento de receber visitas da família e de amigos é algo muito particular que varia de casal para casal, não existe regra! Mas neste momento de pandemia, as visitas (mesmo de familiares mais próximos) são desaconselhadas, pois as mães no pós-parto e bebês recém-nascidos fazem parte do grupo de risco. Sair da maternidade pode ser um momento de incertezas e de certa ansiedade, mas tenha em mente que as turbulências iniciais são normais e logo a família se adapta à nova rotina. O importante é curtir bastante cada momento desta fase! #pannosling #colo #amor #bebe #maternidade #paternidade